O Registro de Museus Ibero-americanos apresenta o Relatório de situação dos museus do Chile

O Registro de Museus Ibero-americanos (RMI) é uma plataforma digital na qual se encontram, em forma de fichas, dados fundamentais de mais de 7.200 museus de 15 países da região. O RMI é uma ferramenta viva, em contínuo crescimento, com atualização periódica de números e fichas dos museus participantes. Em março, foi desenvolvida a seção Museus em dados, que apresenta importantes melhoras no desenho e programação do portal. Com a mudança, o RMI passa a oferecer gráficos cujos dados são atualizados em tempo real a partir da informação inserida na base de dados.

Paralelamente, a seção incorpora um apartado que mostra um relatório específico sobre um dos países membros do Programa, cujo protagonismo será mudado periodicamente. Museus em dados foi inaugurada pelo Chile, que disponibilizou seu Relatório Preliminar Sobre a Situação dos Museus no Chile – 2017. Realizado pela Subdireção Nacional de Museus do país, o documento mostra o panorama das instituições que integram o Registro de Museus do Chile (RMC). A informação deste relatório é o primeiro passo para a construção de um panorama dos museus chileno, contribuindo para a formulação de políticas públicas para o setor.

Os dados foram compilados das fichas de registro que cada um dos 218 museus do RMC completou até 31 de dezembro de 2017. Formam parte dessa rede todas as instituições que possuem e exibem publicamente bens patrimoniais, sem distinção de escala, dependência administrativa ou características.

No documento há dados gerais sobre os museus chilenos, além de informações valiosas sobre a administração e funcionamento, os tipos de coleções, o número de visitantes, a infraestrutura e os trabalhadores dessas instituições. Esse relatório seguirá à disposição do público do RMI até que outro país substitua o Chile na seção. Colômbia será o próximo protagonista do Museus em dados, seguida de Espanha e Portugal.

O RMI foi desenvolvido pelo Programa Ibermuseus por meio de seu Observatório Ibero-americano de Museus (OIM). É uma ferramenta criada para proporcionar informação e acesso aos museus localizados na região ibero-americana através da página web pública rmiberoamericanos.org. Lançado em junho de 2017 com dados de 13 países – Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Espanha, México, Nicarágua, Paraguai, Peru, Portugal e Uruguai –, o RMI incorporou dados de Cuba em dezembro de 2017 e da Bolívia em janeiro deste ano.

A plataforma também dispõe de um entorno acessível restrito aos responsáveis dos países com informação mais detalhada sobre as instituições, que possibilita o intercâmbio de informação entre as administrações públicas, os museus e seus profissionais.

NOTÍCIAS RELACIONADAS:

Equador une o RMI à Rede Equatoriana de Museus para diagnosticar o setor e fomentar iniciativas de cooperação

Ibermuseus recebe a Bolívia no Registro de Museus Ibero-americanos, o 15º país a unir-se à plataforma

Cuba entra no Registro de Museus Ibero-americanos