Presidente do Ibermuseus expõe os avanços do Programa no Colóquio Internacional “Desafios e Perspectivas dos Museus no Século XXI”

Cerca de 150 especialistas procedentes dos principais museus da Europa e da América se reúnem em Zacatecas, México, para celebrar o centenário do Museu de Guadalupe e o Dia Internacional dos Museus, com o Colóquio Internacional “Desafios e perspectivas dos museus no Século XXI”. O evento, que será realizado hoje e amanhã, pretende discutir os paradigmas que enfrentam os museus e gerar uma rede de intercâmbio de profissionais para novos projetos.

Magdalena Zavala Bonachea, presidente do Conselho Intergovernamental do Ibermuseus, fará uma apresentação sobre as contribuições do Programa à museologia ibero-americana após uma década de cooperação internacional, ressaltando as relações binacionais do México com as Américas Central e do Sul.

“Ibermuseus se coloca em um modelo particular da cooperação internacional na Ibero-américa, que se caracteriza pela visão integradora e regional, e também por sua flexibilidade e horizontalidade”, explica a presidente do Programa.  “Seu principal objetivo é promover a integração, a consolidação, a modernização, a qualificação e o desenvolvimento dos museus da região, por meio da criação de mecanismos multilaterais de cooperação e a realização de ações conjuntas em prol das instituições museísticas ibero-americanas.”

Todas as ações do Programa estão pensadas para consolidar a Rede Ibero-americana de Museus, a qual será um espaço de cooperação sem precedentes entre os 22 países da Ibero-América.

O Colóquio Internacional “Desafios e perspectivas dos museus no Século XXI” se divide em seis mesas de trabalho: Desafios e perspectivas dos museus no século XXI; Museus na nossa fronteira norte; Relações binacionais com as Américas Central e do Sul; Relações binacionais México-Estados Unidos; Políticas de gestão e procuração de fundos nos museus; e Desafios e perspectivas dos museus mexicanos.