Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus: inscrições prorrogadas!

Instituições museológicas ibero-americanas têm até 30 de junho para apresentar projetos que potencializem suas capacidades educativas

INSCRIÇÕES AQUI

O Programa Ibermuseus prorrogou até o dia 30 de junho as inscrições para a VI edição do Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus. São 12 dias a mais para que instituições museológicas ibero-americanas, públicas ou privadas, sem fins lucrativos, apresentem seus projetos.

O edital e o formulário estão disponíveis na seção Convocatórias do Portal Ibermuseus, onde os interessados também encontrarão o edital e demais informações sobre o Prêmio.

Para concorrer, as instituições devem ter caráter cultural, educativo ou afim, além de estarem ligadas à administração pública (municipal, regional ou nacional) ou serem empresas privadas sem fins lucrativos. Com a ação, o Programa Ibermuseus objetiva reafirmar e ampliar a capacidade educacional dos museus e do patrimônio cultural como estratégias para transformação da realidade social.

O Prêmio será concedido a oito projetos educativos provenientes de instituições museológicas ibero-americanas[1], por meio de duas categorias distintas: Categoria I – Projetos realizados ou em andamento; e Categoria II – Fomento a projetos em fase de elaboração e/ou planejamento. Para a primeira delas, serão outorgados três prêmios, e para a segunda, cinco, totalizando US$ 75 mil. Além disso, os primeiros 20 classificados serão reconhecidos com menções honrosas.

Nas últimas cinco edições, o Programa Ibermuseus premiou 37 projetos educativos na Ibero-América, com um total de US$ 215 mil.

Ibermuseus – O Programa compreende os museus como instituições dinâmicas, vivas e de encontro intercultural; como espaços que trabalham com o poder da memória; como instâncias relevantes para o desenvolvimento das funções educativa e formativa; como ferramentas adequadas para estimular o respeito à diversidade cultural e natural e para valorizar os laços de coesão social das comunidades e a sua relação com o meio ambiente.

Sua atuação se destina a consolidar a Rede Ibero-Americana de Museus, formada pelos 22 países da comunidade ibero-americana, tendo como objetivos principais: fortalecer as políticas públicas dos países ibero-americanos; estabelecer mecanismos de intercâmbio, informação e difusão entre os museus; promover a formação e a capacitação de profissionais da área; criar mecanismos para ampliar a capacidade educativa dos museus; fomentar a circulação de acervos e exposições; promover a proteção e a gestão do patrimônio museológico; o fomento à pesquisa; e o estímulo do direito à memória das etnias e gêneros, de grupos e movimentos sociais, valorizando os diferentes tipos de museus.

Atualmente, o Programa Ibermuseus é presidido pelo Brasil, onde funciona sua Unidade Técnica, encarregada da execução das linhas de ação determinadas pelo Comitê Intergovernamental.

O Ibermuseus está vinculado à Secretaria Geral Ibero-americana (Segib) e conta com o apoio técnico da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI) e do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), além do suporte da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid).

[1] Países que compõem a Comunidade Ibero-Americana: Andorra, Argentina, Brasil, Bolívia, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Chile, Equador, Espanha, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, México, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.