Mesa técnica elabora planejamento estratégico de Sustentabilidade na área de museus

O Programa Ibermuseus promoveu, de 22 a 24/6, em Brasília-DF, a 1ª Reunião da Mesa Técnica de sua nova linha de ação Sustentabilidade das Instituições e de Processos Museais Ibero-Americanos, coordenada pelo Brasil, com a participação de representantes do Chile, Colômbia, Espanha e Uruguai.

O encontro foi realizado em parceria com o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e financiado pelo ACERCA: Programa de Capacitação para o Desenvolvimento no Setor Cultural, da Cooperação Espanhola e com a colaboração da Fundação Internacional e para a Ibero-América de Administração e Políticas Públicas (FIIAPP).

A iniciativa tem o objetivo principal de promover projetos e iniciativas que auxiliem instituições e processos museológicos na formulação de novos modelos de gestão sustentável. Desta forma, pretende-se que esses empreendimentos sejam capazes de fomentar continuamente o desenvolvimento local, compreendendo as dimensões: social, cultural, econômica e ambiental.

De acordo com o presidente do Programa Ibermuseus, “mesmo que os países da região sofram eventuais problemas econômicos, os museus devem ser independentes. Nossa missão não pode ser afetada e por isso, a sustentabilidade econômica dos museus torna-se um fator necessário”, disse Carlos Brandão, na abertura da reunião, ao abordar a dimensão econômica da linha de ação.

Em congruência com a análise de Brandão, durante três dias, integrantes da mesa e a assessoria dos organismos parceiros do Programa, como a Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid) e a Secretaria Geral Ibero-Americana (Segib), trabalharam na elaboração do planejamento estratégico da linha de Sustentabilidade e suas ações a curto, médio e longo prazo.

Ao final da jornada, foi constituído o planejamento estratégico, que prevê três eixos de atuação e suas respectivas ações:

Eixo 1 – Pesquisa:

  1. a) Definição de marco conceitual comum;
  2. b) Mapeamento e diagnóstico, por meio da contratação de consultoria técnica especializada, dos levantamentos elaborados pelo Observatório Ibero-Americano de Museus (OIM) e demais iniciativas de instituições governamentais, em sustentabilidade no âmbito ibero-americano;
  3. c) Elaboração e execução de projetos de pesquisa, por meio de cooperações técnico-científicas em diálogo bilateral ou multilateral.

Eixo 2 – Ação:

  1. a) Elaboração de marco lógico;
  2. b) Realização de iniciativas, tais como seminários, oficinas e encontros sobre Sustentabilidade das Instituições e Processos Museais Ibero-Americanos;
  3. c) Estabelecimento de indicadores de sustentabilidade;
  4. d) Capacitação em gestão sustentável em alinhamento com a Linha de Ação de Formação e Capacitação do Programa Ibermuseus;
  5. e) Desenvolvimento de experiências sustentáveis em museus ibero-americanos no âmbito das quatro dimensões da sustentabilidade, a partir de critérios pré-definidos;
  6. f) Mapeamento de boas práticas de gestão sustentável nas Instituições e Processos Museais Ibero-Americanos;

Eixo 3 – Promoção:

  1. a) Reconhecer e difundir boas práticas de gestão sustentável nas instituições e processos museais ibero-americanos;
  2. b) Promover intercâmbio entre gestores, técnicos e agentes culturais do campo museal ibero-americano para aperfeiçoamento de práticas em gestão sustentável;
  3. c) Difundir, por meio de publicações, os resultados das ações em sustentabilidade.
  4. d) Promover a criação e o fortalecimento de redes e organizações regionais ibero-americanas, com ênfase em sustentabilidade e inovação, com o apoio da mesa técnica e da consultoria especializada contratada para a realização da etapa de mapeamento e diagnóstico.