Ibram oficializa criação da Política Nacional de Educação Museal

O Instituto Brasileiro de Museus tornou oficial nesta quarta-feira (13) a criação da Política Nacional de Educação Museal (PNEM). A mais nova política pública voltada ao setor de museus brasileiro foi oficializada através da publicação da Portaria Nº 422, de 30 de novembro de 2017.

Destinado ao campo museal brasileiro como um todo, o texto legal estabelece um conjunto de princípios e diretrizes que tem o objetivo de nortear a realização das práticas educacionais em instituições museológicas, fortalecer a dimensão educativa em todos os setores do museu e subsidiar a atuação dos educadores. Define também compromissos do Ibram para sua implementação.

A portaria é fundamentada em princípios e diretrizes orientadores que foram definidos de forma colaborativa após amplo processo de participação que incluiu consulta pública através de plataforma online, a realização de 23 encontros presenciais regionais e a aprovação da Carta de Petrópolis (2012) e Carta de Belém (2014) nas respectivas edições do Fórum Nacional de Museus. O documento final foi aprovado na sétima edição do fórum, realizada este ano em Porto Alegre (RS).

O trabalho contou com a participação de servidores do Ibram, educadores e outros profissionais do setor museológico, Redes de Educadores em Museus, professores, estudantes e usuários de museus interessados na organização, desenvolvimento e fortalecimento da educação museal em território brasileiro.

“O maior valor da Política Nacional de Educação Museal é o caráter participativo de sua constituição”, considera a diretora do Departamento de Processos Museais, responsável pela PNEM, Renata Bittencourt. “O documento traz diretrizes para o campo museal geradas a partir de uma multiplicidade de vozes. Profissionais de museus de diferentes perfis contribuíram para o desenho destes parâmetros, que acreditamos, têm grande potencial para impulsionar a área museológica”, avalia.

*Do site do Ibram