Guia para a incorporação do enfoque de gênero nos museus

img106Este guia busca compartilhar, a partir da gestão realizada pela Direção de Bibliotecas, Arquivos e Museus (DIBAM) – Chile, desde 2002 até a data atual, uma série de orientações e critérios para que as equipes profissionais aprofundem e fortaleçam a incorporação do enfoque de gênero em seu trabalho diário e em todo as atividades institucionais.

Desta forma, foram realizadas diversas iniciativas cujo objetivo foi colocar em foco as representações institucionais projetadas sobre o feminino e o masculino, em relação à criação, recreação e reapropriação do patrimônio, a memória e a identidade. Por isto, visitas guiadas, exposições itinerantes, rodas de cinema, estatísticas diferenciadas por sexo, compras de livros com enfoque no gênero, publicações, seminários e palestras, entre outras atividades, nos permitiram repensar o papel e a contribuição das mulheres ao nosso patrimônio coletivo, bem como sua presença e a de outros sujeitos sociais antes excluídos de perspectivas patrimoniais convencionais.

O enfoque de gênero torna-se, então, uma ferramenta útil para nos questionarmos como integrar identidades sexuais e de gênero, que muitas vezes permanecem fora do registro patrimonial preservado historicamente. Ao mesmo tempo, nos permite interrogar sobre a contribuição das instituições culturais para a construção de um país onde todos e todas tenham um lugar. Sem dúvida, houve um avanço na tarefa de democratizar o acesso à cultura, viabilizar as diversas formas de expressão cultural, contribuir para a construção de memórias e a valorização do patrimônio sob uma perspectiva inclusiva, mas ainda há muito a ser feito para aprofundarmos esta perspectiva, revelando a riqueza cultural de nosso território e de seus habitantes.