Conheça o museu itinerante que discute o tema da posse e uso da terra no Brasil

Projeto Caminhão Museu – Sentimentos da Terra foi um dos vencedores do 8º Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus

Sentimentos da Terra é uma exposição que percorre o Brasil em um Caminhão Museu, contando histórias do campo e de sua gente. Lidar com o tema da posse e uso da terra é aproximar-se de conflitos, injustiças, massacres, expropriações, danos ao meio ambiente, entre outros fatos ainda tão recorrentes no país. Dessa forma, o Caminhão Museu apresenta debates, personagens e acontecimentos muitas vezes já esquecidos, além de fornecer conhecimento em áreas como história, geografia e literatura.

Na estrada desde 2013, o projeto do Departamento de História da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) foi o terceiro colocado na Categoria I do 8º Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus, recebendo US$ 3.000. O museu é um caminhão moderno, equipado com tecnologia de ponta. Ele cruza as estradas brasileiras e quando chega a uma cidade ou vilarejo, desdobra-se, durante alguns dias, em um centro de difusão de conhecimento e de lazer, que inclui, entre outras atrações:

  1. Duas Salas de Vídeo, onde são apresentadas as narrativas e abordados os principais temas identificados pela pesquisa;
  2. Espaço da Imaginação, com seis computadores, mesa de leitura e biblioteca com livros sobre arte, fotografia, geografia, história, costumes e tradições;
  3. Tela Interativa com um menu com a programação do Caminhão Museu e uma seleção de reportagens atuais sobre o problema agrário brasileiro;
  4. Galeria Grandes Personagens com o perfil de oito personagens-ícones das lutas e da história do campo brasileiro;
  5. Contadores de Histórias caracterizados que montam maquetes com personagens e cenários;
  6. Tenda e Cenários para caracterização com roupas temáticas de época, para que os visitantes tirem fotos de lembrança vestidos como personagens da história brasileira;
  7. Caraoquê com canções sobre a temática rural.

O Caminhão Museu é voltado para um público amplo, e combina descoberta, aprendizado e troca de conhecimento. Seu conteúdo é resultado da pesquisa realizada por uma equipe de pesquisadores da UFMG, com curadoria da professora Heloisa Starling e do Projeto República: núcleo de pesquisa, documentação e memória/UFMG.

“O recebimento do Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus valoriza os setores de pesquisa e extensão da universidade pública, dando legitimidade ao trabalho ali desenvolvido. Também dá visibilidade ao Caminhão Museu, fomentando o interesse pelo projeto, aumentando o alcance de suas ações e fortalecendo o contato com instituições parceiras”, avalia Starling.

Até hoje, o Caminhão Museu já percorreu 16 cidades de oito estados brasileiros. A estimativa de visitação neste período foi de 48 mil pessoas. “As salas de cinema, os livros raros, o acesso à internet, as oficinas e cursos ministrados, as apresentações culturais, e as rodas de conversa que se formam em torno do Caminhão Museu suprem, ainda que de forma temporária, a carência de informação, conhecimento e cultura comuns em regiões interioranas do país”, complementa a professora da UFMG.

Fotos: Projeto República/UFMG

NOTÍCIAS RELACIONADAS:

Projeto vencedor do Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus estimula diálogos entre coletivos locais dos Vales Calchaquíes, na Argentina

Conheça o programa educativo do Museu Túcume, vencedor do 8º Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus

Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus viabiliza publicações no México e na Colômbia