Avança no Equador a restauração de bens afetados pelo terremoto de 2016

O Ministério de Cultura e Patrimônio de Equador restaura os bens culturais dos museus de Esmeraldas, Manabí e Guayaquil, afetados pelo terremoto de 2016.

As peças estão asseguradas como parte de uma política pública de proteção de bens. Por esse motivo, uma equipe de cinco especialistas em restauração e conservação cumpre um contrato de três meses para reabilitar um total de 168 bens afetados nos repositórios de Manta, Bahia de Caráquez, Esmeraldas e Nahím Isaías de Guayaquil.

Elizabeth Velarde, especialista em restauração, explica que o trabalho consiste em limpar os bens culturais, devolver força às peças, consolidar as rachaduras e unir os fragmentos, com o objetivo de que os visitantes dos museus apreciem os bens em sua totalidade. Para Velarde, os bens que sofreram danos ou deterioro por desastres naturais devem ser imediatamente restaurados para que não percam sua trajetória histórica.

Fundo de Emergência

En 2016, o Museu e Centro Cultural de Bahía de Caráquez e o Museu de Esmeraldas, além do Museu e Centro Cultural Jama, foram beneficiados pelo Fundo de Emergência para Patrimônio Museológico em Situação de Risco, do Programa Ibermuseus. Na ocasião, o Fundo foi solicitado pelo Ministério de Cultura do Equador, como máxima autoridade cultural do país.

Os recursos financeiros concedidos pelo Programa Ibermuseus foram utilizados para a desinstalação, embalagem, transporte técnico, relocação e verificação de códigos de mais de 4.600 bens patrimoniais desses museus.

O terremoto com uma magnitude de 7.8 pontos aconteceu em 16 de abril de 2016, sendo o sismo mais destrutivo da história do Equador, no qual foram seriamente afetadas as províncias de Manabí e Esmeraldas, causando danos a vários museus e sítios patrimoniais.

O Fundo de Emergência é destinado a apoiar ações de assistência, socorro e proteção ao patrimônio museológico de regiões afetadas por situações calamitosas. Foi aprovado pelo Conselho Intergovernamental em 2014, considerando que os danos causados aos acervos museológicos de qualquer povo da região ibero-americana são prejuízos ao patrimônio cultural regional e de toda a humanidade, e que a capacidade de articulação entre os países é imprescindível para dar resposta de maneira rápida e eficiente frente aos desastres de origem natural ou humano.

Fonte, Vídeo e Foto: Ministerio de Cultura y Patrimonio de Ecuador