8ª edição do Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus

A partir desta terça-feira (25 de abril) e até 25 de maio, instituições ibero-americanas poderão inscrever seus projetos no 8º Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus. Para participar, os interessados devem se registrar através da plataforma Convocatórias Ibermuseus.

O Prêmio, realizado anualmente pelo Ibermuseus desde 2010, busca reafirmar e ampliar a capacidade educativa dos museus e do patrimônio cultural como estratégias de transformação da realidade social. Suas bases estão em documentos como a Declaração de Santiago de Chile de 1972, que considera que o museu é “uma instituição a serviço da sociedade, que acrescenta, comunica, e informa com a finalidade de pesquisa, conservação, educação e cultura, as evidências representativas da evolução da natureza e do homem”, e a Declaração de Salvador, de 2007, que entende os museus como agentes sociais comprometidos com a diversidade, com a promoção do encontro intercultural e com o desenvolvimento sustentável.

“Este ano é importante para a museologia da região, já que se completam 10 anos da assinatura da Declaração de Salvador, documento no qual os 22 países da comunidade reconhecem e referendam o compromisso por potencializar o papel social dos museus”, comenta Magdalena Zavala Bonachea, Presidente do Conselho Intergovernamental do Programa Ibermuseos.

Quais instituições podem concorrer no Prêmio Ibero-americano de Educação?

Para concorrer, as instituições devem ter caráter cultural, educativo ou afim, além de estarem ligadas à administração pública (municipal, regional ou nacional) ou serem empresas privadas sem fins lucrativos.

Ao longo de sete edições, foram reconhecidos 53 projetos de 12 países, que se caracterizaram pelo comprometimento social com as comunidades, por promover a diversidade e o encontro intercultural, assim como o desenvolvimento sustentável. “O Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus reconhece e reafirma o enorme potencial educativo dos museus e do patrimônio cultural, ao serem espaço de reflexão crítica e questionamento”, afirma Magdalena.

Desde sua criação, o Prêmio reconhece iniciativas comunitárias de pequenos museus, inclusivas, com enfoque de gênero, iniciativas de grandes museus dirigidas à educação infantil e tantos outros projetos que formam um grande mosaico de experiências, tais como o projeto Tallando Reflejos, de Vida – Mujer, vidrio y memoria, do Museo del Vidrio de Bogotá, Colômbia, um dos vencedores da última edição do Prêmio.

O reconhecimento tem permitido que a instituição empodere mulheres em situação de vulnerabilidade e vítimas de deslocamento forçado no bairro de San Cristóbal, em Bogotá, por meio de oficinas de aprendizagem da técnica de escultura em vidro, apoio psicossocial e cursos de empreendedorismo.

“As instituições museais e culturais têm o desafio de promover o desenvolvimento social neste século”, opina Fernando Aníbal Pérez, diretor do Museo del Vidro de Bogotá. “É através dos processos educativos que os museus vão realizar a missão de conservação e proteção da arte, do patrimônio e da cultura.”

Outro experiência é a do Museo del Títere de Tolosa – Topic, no País Basco, Espanha, que recebeu o Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus em 2012 pelo projeto de um complexo museal de investigação, reflexão, promoção e aperfeiçoamento da arte das marionetes.

“Quando recebemos o prêmio, o Museu só tinha três escassos anos de vida e o reconhecimento supôs uma espécie de validação do caminho que estávamos traçando, de que era o correto”, recorda a diretora do Topic, Idoya Otegui Martínez, que também reforça o papel educativo dos museus. “A partir deles se desenvolve um programa pedagógico dirigido a todo tipo de público, fazendo do museu uma instituição viva e fundamental para a educação.”

Além dos 53 projetos premiados pelo Prêmio, outros 92 projetos receberam menção honrosa e estão disponíveis para consulta no Banco de Boas Práticas em Ação Educativa, também disponível no Portal Ibermuseus.

Categorias

Como nas edições anteriores, o Prêmio se divide em duas categorias: Categoria I – Projetos realizados ou em andamento; e Categoria II – Fomento a projetos em fase de elaboração e/ou planejamento. Para a primeira delas, serão outorgados três prêmios, e para a segunda, cinco, totalizando US$ 75 mil em prêmios. Além disso, serão concedidas menções honrosas aos primeiros 20 classificados.

O processo de avaliação das propostas é realizado em duas etapas: a primeira pelas Comissões Nacionais e a segunda por um Comitê Especial de Seleção, formado por especialistas em educação e museus dos países membros do Comitê Intergovernamental do Ibermuseus.