Fundo de Emergência do Programa de apoio ao Patrimônio Museológico em Situação de Risco

Patrimonio_Risco

 Fundo de Emergência do Programa de apoio ao Patrimônio Museológico em Situação de Risco

Consideradas instituições de encontro intercultural e de coesão social, além de exercerem grande influência no processo educativo e formativo da sociedade, os museus de toda a Comunidade Ibero-Americana demandam ações de assistência, socorro e proteção. Esse cuidado se faz necessário especialmente em regiões afetadas  por inundações, terremotos, incêndios, conflitos bélicos, ameaças humanas e outras situações calamitosas.

Desta forma, o Programa Ibermuseus lança, a partir de hoje (3/3), o Fundo de Emergência do Programa de Apoio ao Patrimônio Museológico em Situação de Risco – uma iniciativa aprovada pela Mesa Técnica de Patrimônio em Risco, em Santiago-Chile, em 2010, e também pelo Comitê Intergovernamental do Programa, em Lisboa-Portugal, em 2014.

Solicitação – Todas as instituições ibero-americanas que possuam coleções e acervos museológicos sob sua responsabilidade poderão solicitar a utilização do Fundo de Emergência por meio do Portal Ibermuseus na internet.

Os documentos enviados sobre a entidade e o sinistro, além dos seus respectivos cronogramas e orçamentos, serão analisados pelos pontos focais de cada país e pelo Comitê Intergovernamental do Programa. Em seguida, os interessados serão comunicados sobre a aprovação – ou não – do benefício solicitado.

Tipos de auxílio – As ações de emergência englobam: cooperação técnica (passagens e diárias para visitas de especialistas e funcionários das administrações públicas ibero-americanas); auxílio à contratação de consultoria técnica especializada para avaliação de danos; e intervenções pontuais (projetos de reorganização, conservação ou restauração de acervos). Os valores destinados a cada uma das solicitações serão determinados pelo Comitê Intergovernamental do Programa.

Ao promover a ação, o Ibermuseus parte do princípio que os danos causados aos acervos museológicos de qualquer povoado da região ibero-americana são prejuízos ao patrimônio cultural regional e de toda a humanidade, e de que a capacidade de articulação entre os países é imprescindível para oferecer respostas rápidas e eficientes frente aos desastres de origem natural ou humano.

Veja todas as informações no Regulamento.