Presidente do Programa Ibermuseus, Magdalena Zavala defende a aproximação aos museus

O segundo dia do Seminário Internacional 10 anos de cooperação entre museus: Museologia ibero-americana e a Declaração de Salvador foi marcado por profundas reflexões sobre a atuação do Programa Ibermuseus no setor durante a última década. Na Conferencia Arquiteturas institucionais. Os desafios na gestão do Programa Ibermuseus, a presidente do Conselho Intergovernamental, Magdalena Zavala, apresentou questões importantes sobre a relevância e alcance do Ibermuseus.

Conseguimos chegar aos museus?”, provocou Zavala. “Temos o desafio de democratizar o programa e de gerar mais áreas de retribuição às instituições. Não podemos nos esquecer que o foco de nosso programa é o próprio museu. Temos que chegar até os museus. Dar esse salto.” Zavala destacou que ainda há um desenvolvimento desigual de políticas públicas na região, além da necessidade de maior integração e desenvolvimento regional.

A presidente reforçou que o Programa Ibermuseus deve ter o objetivo de se consolidar como a principal ferramenta da região ibero-americana para o desenvolvimento sustentável, acessibilidade e democratização na área dos museus, e apontou conquistas da atuação do Ibermuseos nessa direção.

Magdalena ressaltou algumas das iniciativas de sucesso, como os nove Encontros Ibero-americanos de Museus; o Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus; os cursos de capacitação; o Fundo de Emergência para o Patrimônio Museológico em Situação de Risco; as Bolsas de Capacitação; o lançamento do Registro de Museus Ibero-americanos; além de uma série de importantes publicações desde 2007.

Zavala ainda destacou o espírito de paz e justiça do Programa, que promove transformação social através dos museus. “Defendemos valores como respeito, reconhecimento, colaboração, igualdade e memória social. Não podemos perder esses elementos como fundamentais para o Programa.”

Profissionais de museus

Na primeira mesa do dia, foi realizado um intenso debate sobre Profissionais de Museus na Ibero-América. Gestores de México, Espanha, Costa Rica e Peru – com ampla participação do público – fizeram análises sobre a situação do setor museal em termos de oportunidades de trabalho, necessidade de especialização, perfil dos trabalhadores e o papel de Ibermuseus no compromisso de melhorar as condições para a região.

Participaram da mesa Andrés Eduardo Triana, Diretor da Escola Nacional de Conservação, Restauração e Museografia do México; Miguel González Suela, Subdiretor Geral de Museus Estatais da Espanha; Hugo Pineda, Assessor de Museus do Ministério da Cultura e Juventude da Costa Rica; y Carlos del Águila, Diretor Geral dos Museus do Peru. Moderou Marcio Rangel, Coordenador de Documentação e Arquivos do Museu de Astronomia e Ciências Afins.